Estudos de gênero e psicanálise: diálogo possível

  • Jacqueline Virmond Vieira Universidade Federal de Santa Catarina, (Brasil)
  • Mara Coelho de Souza Lago Universidade Federal de Santa Catarina - Universidade Estadual de Campinas, (Brasil)

Resumen

Neste artigo, procuramos mostrar que é possível estabelecer um diálogo crítico e frutífero entre teóricas dos estudos feministas e de gênero e a psicanálise freudo-lacaniana, trazendo para o texto concepções de Judith Butler, Gayle Rubin e Márcia Arán. Estas autoras foram escolhidas por suas contribuições destacadas a esse diálogo, pois refletem sobre novas formas de relacionamentos, estilos de vida, sexualidades, identidades culturais, com seus consequentes e contemporâneos modos próprios de subjetivação e mal estar na cultura, valendo-se de e questionando pressupostos da psicanálise em seus estudos.    

Palabras clave:

Psicanálise, Feminismos, Gênero, Sexualidades, Identidades

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Referencias bibliográficas

Arán, M. (2009). A psicanálise e o dispositivo diferença sexual. Revista Estudos Feministas, 17(3), 653-673. Recuperado de: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2009000300002

Brousse, M-H. (2016). Las identidades, uma política; la identificacion, um processo; la identidade um sintoma. Recuperado de: http://identidades.jornadaselp.com/textos-y-bibliografia/texto-de-orientacion/las-identidades-una-politica-la-identificacion-un-proceso-y-la-identidad-un-sintoma/

Butler, J. (2001). Mecanismos psíquicos del poder: teorías sobre la sujeción. Madrid: Ediciones Cátedra.

Butler, J. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira.

Cesarotto, O. & Leite, M. (1993). Jacques Lacan: uma biografia intelectual. São Paulo: Iluminuras.

Dafunchio, N. S. (2008). Confines de la psicosis: Teoría y práctica. Buenos Aires: Del Bucle.

Foucault, M. (1988). História da Sexualidade I. A vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal.

Freud, S. (2010 [1905]). Três Ensaios sobre a teoria da sexualidade. In Obras Completas (v.6). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1976 [1910]). Leonardo da Vinci e uma lembrança de sua infância. In Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1976 [1917]) Luto e melancolia. In Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1976 [1925]). Algumas consequências psíquicas da diferença anatômica entre os sexos. In Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1976 [1933]) A feminilidade. In Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Knudsen, P. P. (2010). Conversando sobre psicanálise: entrevista com Judith Butler. Revista Estudos Feministas,18(1). Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2010000100009/12393

Lacan, J. (1992 [1969-1970]). Seminário, livro 17. O avesso da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1998). De uma questão preliminar a todo tratamento da psicose. In V. Ribeiro (tr.), Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2008 [1973]). Seminário, livro 20: Mais ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2009 [1971]). Seminário, livro 18: De um discurso que não fosse de semblante. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lago, M. (2010). A psicanálise nas ondas do feminismo. In Rial, C.; Pedro, J. y Arend, S. (Orgs.) Diversidades: dimensões de gênero e sexualidade. Ilha de Santa Catarina: Mulheres.

Miller, J. (2011). Intuições milanesas. Opção Lacaniana online nova série, 2(5). Recuperado de http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_5/Intui%C3%A7%C3%B5es_milanesas.pdf

Miller, J. (2014). A criança entre a mulher e a mãe. Opção Lacaniana online nova série, 5(15). Recuperado de http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_15/crianca_entre_mulher_mae.pdf

Piscitelli, A. (2002). Recriando a (categoria) mulher? In L. Algranti (Org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Campinas: IFCH/Unicamp.

Porchat, P. (2014). Psicanálise e transexualismo. Desconstruindo gêneros e patologias com Judith Butler. Curitiba: Juruá.

Rubin, G. & Butler, J. (2003). Tráfico sexual: entrevista. Cadernos Pagu, 21, 157-209. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cpa/n21/n21a08.pdf

Rubin, G. (2017 [1975]). O tráfico de mulheres: notas sobre a economia política do sexo. Recife: SOS Corpo. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/1919

Saraiva, E. (2007). Conjugando amor e desejo: experiências masculinas do “assumir-se” homossexual. Florianópolis: PPGICH, UFSC.

Virmond Vieira, J. & Angonese, M. (2016). Clínica dos gêneros não inteligíveis: Judith Butler e psicanálise. Revista Estudos Feministas, 24(1), 369-372.

Virmond Vieira, J. (2018). A plasticidade na eleição de parcerias sexuais em tempos de queda do falocentrismo (Tese de doutoramento). Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGP UFSC), Florianópolis, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/198149/PPSI0818-T.pdf
Publicado
2020-03-06
Cómo citar
Virmond Vieira, J., & de Souza Lago, M. (2020). Estudos de gênero e psicanálise: diálogo possível. Descentrada, 4(1), e100. https://doi.org/10.24215/25457284e100
Sección
Dossier Psicoanálisis y feminismos